sábado, 26 de novembro de 2011

CHOVIA

Chovia e os dois caminhavam na rua debaixo de um único guarda-chuva. Caminhavam abraçados, com passadas irregulares, cada um tentando acompanhar o ritmo do outro.
A chuva se intensificou e ele, preocupado, perguntou a ela se ela estava se molhando. Ela disse que não. Mentira para não preocupá-lo e também porque já estavam perto do seu destino. Mas ele a segurou pelo braço e viu que ela estava com a blusa toda encharcada.
Ele parou no meio da rua, tirou seu terno e o colocou delicadamente sobre os ombros dela. E por mais ridícula que ela estivesse, andando na rua com um terno que ia quase até seus joelhos, ela se sentiu a mulher mais linda do mundo, aquecida pelo terno e protegida pelo amor dele. NINA

Nenhum comentário:

Postar um comentário